terça-feira, 19 de janeiro de 2010

AUSENCIA - Letra e música: MIRO NANDES


Quando a sombra bateu,
Nas janelas, vitrais.
O castelo tremeu
Se desfaz.

O meu mundo ficou,
Muito triste e sem paz
O meu sonho acabou
Não há mais.

Quando a sombra cobriu,
Objetos banais.
Tudo que ainda era meu,
Não é mais.

Onde o claro insistiu,
Permanece o olhar,
Numa foto que eu quis
Enquadrar.

Meu castelo ficou,
Sem ninguém pra contar
No que a dor transformou
Ideais.

Quando a chuva caiu,
E molhou meu olhar,
Ainda bem ninguém viu
Eu chorar.

Não há sol a se por
Não há lua a brilhar
Pros meus olhos sem cor
Te encontrar.

Se na porta bater,
Uma pessoa ou alguém
Eu não vou atender
Sou ninguém...

9 comentários:

Hapi disse...

hello... hapi blogging... have a nice day! just visiting here....

Anônimo disse...

li seus outros poemas. parece-me que voce está sempre esperando alguem bater à sua porta, ou te buscar, ou algo que o valha...voce é homem! já pensou em sair e ir buscar o que quer?

MIRO disse...

Oi! anonimo!

Buscar, é e sempre será o meu maior objetivo..estar totalmente satisfeito é prenuncio de uma vida vazia que vai de encontro a tristeza...porem como poéta, nem sempre falo de mim mesmo..no caso, essa alma AUSENCIA, não é minha e sim de um amigo querido, que resolvi escrever, dado o tamanho da tristeza que absorvi, outras tambem seguem o mesmo princípio, e assim continuo a escrever desde que, com verdade e respeito ao que sinto...obrigado pelo conselho e seja bem vindo (a), gostei muito de sua observação...abraços...

Anônimo disse...

Oi,

Não gosto de vê-lo triste!

Pois é, ser intenso às vezes é complicado! Deixe essa angustia toda somente nas letras e nos poemas, pois a vida adora passagens secretas e alçapões!!!

Adoro-te muito!

Com carinho,

J.

MIRO disse...

É Jana!!! as vezes eu fico muito surpreso com o que você escreve...parece até que você é bem mais velha "sabiamente falando"do que eu....gostei muito dessas passagens e alçapões...adoro você muito, mais acima de tudo te admiro pra caramba, e continuo dizendo que você deveria escrever....abraços com carinho...

Anônimo disse...

Sua fala me traz ternura e verdade...porém preciso perder primeiro o medo, as experiencias de vida me causam até hoje boas é más lembranças e também elos de ferro que acorrentam a minha alma, profundo né???[mas é verdade]. Não sei se estou preparada para expor de forma madura minhas experiencias,quem sabe um dia... Obrigada pela força.

Para finalizar, segue uma poesia da querida Clarice Linspector, espero que goste!?

“Renda-se como eu me rendi
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender,
Viver ultrapassa todo entendimento.”
(Clarice Lispector)


Sua amiga,

J.

Anônimo disse...

...sentimento ilhado, morto, amordaçado, volta a incomodar...

MIRO disse...

É anonimo! perfeito!

MIRO disse...

Eu sei quem é você! rsrsrs